Categories
Planos de Saúde

Como saber qual o melhor plano de saúde do Brasil?

A contratação de um plano de saúde é um investimento comum para quem busca cuidar bem da saúde e proteger a sua família. Mas com tantas operadoras atuantes e opções de programas a escolher, uma das maiores dúvidas que aparecem neste processo é: afinal, qual o melhor plano de saúde do Brasil?

Os custos mensais deste tipo de serviço podem variar muito entre uma empresa e outra, enquanto existem vários critérios que devem ser levados em consideração ao tomar uma decisão. E, se é para assumir uma mensalidade que vai pesar no bolso, você quer garantir que poderá contar com um serviço de qualidade, não é mesmo?

Por isso, preparamos este artigo para ajudar você a descobrir as melhores operadoras do país. Veja, a seguir, qual o melhor plano de saúde do Brasil e entenda como escolher um bom serviço para atender às necessidades da sua família.

O índice IDSS da ANS

A Agência Nacional de Saúde Suplementar é a agência reguladora que atua no setor de planos de saúde no Brasil, sendo vinculada ao Ministério da Saúde. Desta forma, ela se especializa em regulamentar os planos de saúde oferecidos e praticados pela esfera privada – ou seja, as operadoras.

Neste contexto, a ANS promove, todos os anos, um estudo comparativo entre o desempenho das empresas que oferecem este tipo de serviço, o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar. Nele, são avaliados vários critérios em diversas modalidades de serviço privado, relativos à sua rede assistencial, satisfação dos usuários, equilíbrio financeiro e cumprimento das suas obrigações junto à ANS.

Assim, uma das abordagens deste estudo é entender qual o melhor plano de saúde do Brasil, sob a ótica de vários aspectos diferentes. As operadoras são avaliadas e pontuadas, recebendo posições melhores ao oferecerem serviços de qualidade em mais critérios. Por isso, podemos utilizar estes dados como uma base sólida para identificar as empresas que se destacam como concorrentes quanto a qual o melhor plano de saúde do Brasil.

Qual o melhor plano de saúde do Brasil?

Mas então vamos lá: o que diz o relatório do IDSS sobre qual o melhor plano de saúde do Brasil? Na verdade, são várias as operadoras que recebem notas muito boas e ficam bem posicionadas ao lado das concorrentes.

No último relatório do IDSS, lançado em 2018, a empresa mais bem colocada foi o Bradesco Saúde. Próximo da sua nota, outras operadoras bastante conhecidas ganharam, também, espaço de destaque, como A NotreDame Intermédica, SulAmerica Saúde, Amil, Porto Seguro e Care Plus. Todas elas foram muito bem-conceituadas pelos critérios analisados. 

O Bradesco Saúde e a Porto Seguro se especializam apenas em planos do tipo empresarial, enquanto a NotreDame e a Amil são conhecidas pelas suas diversas opções para atender aos mais variados tipos de necessidades. A SulAmerica, por sua vez, é uma das operadoras mais antigas do país, mas também exige que o beneficiário possua CNPJ – assim como a Care Plus, que foca apenas no fornecimento de planos de qualidade Premium.

Como identificar o melhor plano de saúde para a sua família

É importante ter em mente que não adianta apenas saber qual o melhor plano de saúde do Brasil para tomar uma boa decisão na contratação deste tipo de serviço. É preciso analisar as necessidades que você e a sua família apresentam para definir qual a melhor opção para o seu caso em particular.

Por mais que as empresas apresentadas tenham pequenas variações na nota do estudo, todas foram alvo de destaque por oferecer serviços de qualidade para os seus beneficiários. Apesar disso, é claro que cada uma vai ter as suas particularidades quanto aos planos oferecidos e à cobertura proporcionada.

Quando se trata de planos de saúde, não existe uma resposta pronta. Você deve analisar o que cada uma das operadoras pode oferecer para definir qual a opção que faz mais sentido para a sua família. O importante não é apenas descobrir qual o melhor plano de saúde do Brasil, mas, sim, qual o melhor serviço para você.

Agora que você já viu a nossa lista, conte para a gente nos comentários qual o melhor plano de saúde do brasil na sua opinião. 

Categories
Planos de Saúde

Qual o plano de saúde mais barato em 2020

Cada vez mais pessoas estão atrás de planos de saúde acessíveis para proteger a sua família. Sem o acesso a um convênio empresarial, as mensalidades podem ser difíceis de encaixar junto com as outras despesas da casa.

Por isso, muita gente se pergunta qual o plano de saúde mais barato para entrar no seu orçamento. Infelizmente, esta dúvida não é tão fácil de responder.

São muitas coisas que devem ser levadas em consideração ao escolher um plano com preço acessível para a sua família, pois de nada adianta contratar um serviço que não atenda às suas necessidades de forma eficiente.

Neste caso, você estará fazendo um péssimo investimento com o seu dinheiro.

Por isso, preparamos este artigo para ajudar você a encontrar uma boa alternativa e garantir a proteção e qualidade de vida dos seus familiares.

Vamos apresentar, a seguir, qual o plano de saúde mais barato em 2020, e como conseguir um bom negócio para ter um serviço de qualidade com preço acessível. Acompanhe.

Como escolher um bom plano de saúde para a sua família

Antes de descobrir qual o plano de saúde mais barato no país, é importante entender que nem sempre aquele com custo mais baixo vai ser o que oferece o melhor custo-benefício para a sua situação.

As operadoras costumam contar com várias faixas de planos diferentes para que os beneficiários tenham a liberdade de analisar os serviços oferecidos em cada um e optar pelo que seja mais econômico para as suas necessidades.

Por isso, antes de ir ver os preços dos planos de diferentes empresas, vale a pena fazer um levantamento quanto a quais são os requisitos da sua família aos quais você precisa estar atento.

Por exemplo, você só faz exames de rotina ou algum de seus familiares possui uma condição que exige acompanhamento? O plano pode ser básico ou precisa incluir algum tipo de tratamento especial? E quanto à cobertura geográfica? A sua família vai sempre para o mesmo hospital, ou você costuma viajar a trabalho? É necessário ter um plano que atue em outros estados ou países? Qual a faixa etária de cada um? E quantos dependentes serão inclusos no seu plano?

Todos estes aspectos poderão fazer o custo variar bastante entre uma operadora e outra. Assim, você pode focar em analisar apenas os planos que realmente interessam para o seu caso em particular.

Qual o plano de saúde mais barato em 2020?

Finalmente, vamos à grande questão: afinal, qual o plano de saúde mais barato em 2020? A resposta depende. Para planos individuais e familiares, empresas como a Plena, Unihops, GS Saúde e Biovida costumam oferecer seus planos básicos com preços mais acessíveis, a partir de R$180 para uma pessoa. Neste sentido, a Notre Dame e a Unimed também são conhecidas por ter várias opções de planos que começam a partir de valores bem reduzidos para facilitar a contratação.

Para planos empresariais, outras operadoras também se destacam. Neste caso, a Ameplan, Amil e Santa Helena apresentam preços mais atraentes, partindo de R$90 o plano para uma pessoa. Entretanto, estes valores especiais requerem que o beneficiário possua um CNPJ para contratação.

Dicas para reduzir os custos com o plano de saúde

Como explicamos, não basta olhar apenas qual o plano de saúde mais barato ao escolher um serviço para a sua família. Muitas operadoras buscam fazer pacotes mais acessíveis para facilitar a contratação, cortando o acesso a alguns serviços que podem ser importantes para você.

Por isso, uma das melhores dicas para conseguir um bom negócio é pesquisar as suas opções em várias empresas e analisar qual oferece o melhor custo benefício para a cobertura que você precisa.

Os preços variam de acordo com a quantidade de pessoas no plano e as particularidades que devem ser atendidas. Mas a vantagem de existirem vários pacotes diferentes nas operadoras é justamente esta: você tem a liberdade de escolher entre as alternativas a mais conveniente para a sua família.

Dentre os planos oferecidos, os ambulatoriais são os mais básicos. Portanto, os mais em conta. Mas vale a pena conferir o que os planos hospitalares e de referência incluem para entender o que você está deixando de fora.

Outra dica que pode ajuda é a participação. Algumas operadoras permitem que você opte por pagar uma participação no pagamento das consultas, que é basicamente uma taxa cobrada apenas quando é preciso fazer uso do plano.

Assim, a mensalidade fica ainda menor, e você apenas precisa investir seu dinheiro quando tem a necessidade de ter atendimento médico.

Pronto, agora você já sabe qual o plano de saúde mais barato em 2020. Ainda tem dúvidas quanto a qual serviço contratar?

Categories
Planos de Saúde

Quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão?

A demissão sempre é um assunto complicado, e muitas pessoas não entendem bem os seus direitos nestas situações. Por conta disso, uma das dúvidas mais frequentes de quem está passando por este processo é: por quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão?

Afinal, é normal que as empresas ofereçam diversos benefícios aos seus funcionários durante o período de contratação. Mas o que acontece com estes direitos em caso de perda do emprego? O que a lei diz sobre os direitos relacionados ao plano de saúde?

No caso específico do plano de saúde, o direito do empregado de manter o serviço que recebia quando contratado é previsto em lei, no artigo 30 da lei nº 9.656, de 1998 – também chamada de Lei dos Planos de Saúde. Esta decisão também foi regulamentada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em sua resolução Normativa nº 279, de 2011.

No entanto, alguns critérios devem ser preenchidos para que o direito seja válido. Veja, a seguir, a resposta para sua dúvida sobre “quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão” e entenda como funciona este direito.

Como funciona o plano de saúde da empresa após a demissão?

O direito de manter o plano de saúde que recebia da empresa depende de alguns fatores. Primeiramente, o funcionário só tem direito a continuar utilizando o mesmo plano se contribuía para o seu pagamento. Ou seja, se a empresa era responsável por pagar integralmente o plano de saúde do empregado, ele perde o direito de continuar se beneficiando após sua demissão.

Você deve estar se questionando: “então, essa é a resposta final sobre quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão, certo?”. Depende.

No caso de quem pagava coparticipação nas consultas, procedimentos médicos ou exames, as notícias não são tão animadoras. A ANS não considera a coparticipação como contribuição no pagamento dos planos da empresa, e sim apenas quem contribuía com parcelas mensais para o benefício. Apesar disso, o Poder Judiciário tende a aceitar o pagamento de coparticipação como contribuição, mas, para isso, pode ser necessário ingressar com uma ação na justiça.

Além disso, o colaborador só tem direito de solicitar a permanência em caso de demissão sem justa causa. Se a demissão foi consensual, como em um acordo, ele perde o benefício de se manter no plano após seu desligamento.

Para quem se encaixa nos critérios, a empresa deve informar ao funcionário sobre esta possibilidade e aguardar o prazo de 30 dias pela resposta se ele deseja ou não continuar no plano. Entretanto, é importante pontuar que o ex-funcionário passará a ser o responsável pelo pagamento integral do seu plano de saúde, assim como dos seus dependentes, se houver. A empresa não será mais responsável por arcar com nenhuma parte do plano de saúde do seu antigo empregado.

Os dependentes também estão inclusos nisto?

Sim. Os dependentes podem manter o plano da mesma forma que o beneficiado, e podem até mesmo ser incluídos como dependentes um novo filho ou cônjuge durante este período. Caso o ex-funcionário venha a óbito, o direito pelo plano de saúde permanece com a família pelo mesmo tempo que o beneficiário tinha.

Mas, então, quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão?

Agora, vamos à grande dúvida: por quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão? A lei determina que o tempo em que o funcionário pode permanecer no plano após o desligamento seja correspondente a um terço do período em que atuou como empregado.

Mas existem alguns detalhes importantes: o empregado deve receber um tempo mínimo de 6 meses para ficar no plano, assim como um prazo máximo de 2 anos. Ou seja, um empregado que foi contratado por apenas 1 mês deve receber o benefício por 6 meses inteiros, assim como um funcionário que atuou na empresa por 30 anos só poderá ficar por outros 2. 

Em caso de aposentadoria, o prazo de permanência no plano não possui essa limitação, e é proporcional ao tempo trabalhado na empresa. Se ele foi contratado por 5 anos, pode permanecer no plano por 5 anos também. Se a contratação foi acima de 10 anos, ele pode ficar o tempo que quiser.

Posso perder o direito a usar o plano de saúde da empresa?

Sim. Se você chegou à conclusão de que “de nada adianta saber quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão se estou em uma situação que implica a perda do direito”, tem razão. Basicamente, o benefício pode ser perdido de três maneiras.

Se o funcionário responder que não tem desejo de seguir no plano da empresa da qual foi demitido ou não se manifestar no prazo de 30 dias, ele não poderá mais ser beneficiado. Da mesma forma, se for contratado por uma nova empresa que possui contrato com plano de saúde, ele deve passar a utilizar o novo. Por fim, se o ex-empregador cancelar o plano de todos os profissionais vinculados ao mesmo contrato, o seu benefício também deixa de existir.

Ainda tem dúvidas sobre “quanto tempo posso usar o plano de saúde após demissão”? Se você tem questões quanto aos planos de saúde e precisa de assistência, entre em contato com a gente! 

Categories
Planos de Saúde

Qual o valor do plano de saúde para idosos no Brasil

A terceira idade é sinônimo de aposentadoria, mais tempo para passar com os filhos e netos e aproveitar tudo o que conquistou ao longo dos anos focando em ter mais qualidade de vida. Apesar disso, é importante estar atento aos cuidados extras com a saúde, que passa a exigir mais acompanhamento e dedicação. Por isso, ao alcançar idades mais avançadas, uma das perguntas mais comuns ao fazer planos para garantir uma vida com saúde é: qual o valor do plano de saúde para idosos?

Apesar de oferecerem vários benefícios para os segurados, é comum que os usuários tenham dúvidas sobre esses estes serviços por conta dos preços elevados. São custos mensais que podem pesar no bolso, e é normal pagar a mensalidade se perguntando sobre a frequência com que o plano é realmente utilizado pela família. Mas, na terceira idade, será que estas dúvidas também cabem?

Vamos ver, a seguir, qual o valor do plano de saúde para idosos no Brasil e a importância de ter um serviço destes à sua disposição.

O que são os planos de saúde para idosos?

Os planos de saúde para idosos oferecem assistência médica de qualidade para atender às principais necessidades específicas da terceira idade. Conforme a idade avança, alguns serviços passam a ser mais relevantes, enquanto outros se tornam dispensáveis – como, por exemplo, a cobertura da área de obstetrícia. Por isso, é interessante procurar por planos que são dirigidos ao público idoso e proporcionam cobertura conveniente para este nicho em particular, pois podem cortar serviços desnecessários e tornar o valor mais acessível.

Por que investir em um plano de saúde para idosos?

As pessoas de idade avançada tendem a precisar de mais atendimento médico, uma vez que o envelhecimento está diretamente relacionado ao enfraquecimento do corpo e ao aparecimento de doenças e patologias.

Os planos especializados oferecem mais conforto e eficiência aos idosos, atendendo às necessidades da sua saúde fragilizada. Além disso, promovem acesso a check-ups, que buscam prevenir o aparecimento de doenças relacionadas à idade, podendo até mesmo incluir consultas periódicas com médicos geriatras e aulas de atividades físicas direcionadas a idosos.

Qual o valor do plano de saúde para idosos no Brasil?

Antes de falarmos qual o valor do plano de saúde para idosos, é importante explicar duas coisas. Tenha em mente que esse modelo costuma ser mais caro do que os planos similares para faixas de idade mais jovens, e que pode variar bastante de acordo com o número de benefícios que oferecem.

Assim, no Brasil, é possível encontrar algumas operadoras que oferecem planos para a terceira idade aproximadamente a partir de R$400 por mês. No entanto, a média dos planos mais acessíveis para idosos costuma girar entre R$500 a R$900 para a maior parte das empresas. A partir destes preços, os custos mensais podem subir em milhares de reais para planos com mais benefícios e exclusividades, a depender da operadora.

Por que os planos para idosos são mais caros?

A maior parte das pessoas se surpreende com os altos custos ao descobrir qual o valor do plano de saúde para idosos. No entanto, uma vez que costumam utilizar o serviço com frequência para cobrir consultas médicas, exames e tratamentos, os preços elevados cobrados pelas operadoras são justificados. Afinal, com a idade avançada, a saúde tende a se deteriorar e necessitar de cuidados especiais.

Apesar disso, os planos para idosos têm vantagem na área dos reajustes. Ao contratar um plano de saúde, os beneficiários estarão sujeitos a dois tipos de reajuste, que aumentam gradativamente o custo do seu plano: o reajuste anual a cada ano de contrato, e o reajuste por mudança de faixa etária.

Basicamente, a ANS estabelece 10 faixas etárias para os planos de saúde, sendo que em cada transição é aplicada uma taxa em cima do valor pago. Com isso, ao chegar na última faixa, o custo pode chegar a mais de 5x o valor inicial contratado.

Entretanto, a partir dos 59 anos, não é mais aplicado o reajuste por mudança de idade, porque esta é a última faixa prevista. Assim, os idosos somente estão sujeitos ao reajuste anual do contrato, o que diminui o aumento de preço do plano ao longo dos anos.

Você já sabia qual o valor do plano de saúde para idosos no Brasil? 

Categories
Dicas da Compara

A importância do exercício físico ao cuidar da saúde

Você conhece a importância do exercício físico para cuidar da sua saúde? Na rotina corrida do dia a dia, as atividades físicas costumam ser as primeiras tarefas a ficarem de lado quando precisamos de horas a mais na semana. Mas, você já parou para pensar no quanto o sedentarismo pode estar impactando a sua qualidade de vida? 

A prática regular de exercícios físicos traz muito mais do que benefícios estéticos para o corpo. Este tipo de atividade é responsável por proporcionar bem-estar físico e mental, contribuindo para o bom funcionamento do organismo e das funções psicológicas. 

A seguir, confira os principais benefícios das atividades físicas para o seu corpo.

Importância do exercício físico para a sua saúde

Benefícios para o sistema cardiovascular e respiratório

A prática de exercícios físicos estimula o funcionamento do coração, da circulação sanguínea e dos pulmões. Além disso, ela ajuda a trabalhar a oxigenação do sangue e previne contra o aparecimento de doenças cardíacas e problemas sérios, como o infarto. Os benefícios do exercício neste âmbito são vastos, trabalhando desde o desenvolvimento do condicionamento físico até a regulação dos processos internos do organismo. Por fim, o resultado é um coração muito mais sadio e um sistema respiratório vigoroso.

Prevenção do desenvolvimento de doenças

Além de auxiliar no controle do peso, as atividades físicas também ajudam a regular os níveis de colesterol – ambos bastante relacionados a diversos problemas de saúde mais sérios. Por conta disso, são capazes de prevenir e combater até mesmo doenças crônicas, como a diabetes e a hipertensão.

Por conta de seus benefícios no organismo, a prática regular de exercícios físicos também pode ajudar na prevenção das mais diversas patologias, sendo um agente importante de precaução contra AVCs e até mesmo alguns tipos de câncer.

Aumento da força e da resistência do corpo

É evidente a importância do exercício físico para o aumento da força. Mais do que tonificar e deixar o corpo mais bonito, as atividades físicas fortalecem os ossos e músculos, protegendo as articulações.

Isso significa que você estará preparado para qualquer desafio do dia a dia, diminuindo o risco de lesões em atividades rotineiras e estando em ótimo condicionamento com o aumento da massa muscular e preparo físico.

Qualidade do sono e efeitos psicológicos

As atividades físicas também são capazes de melhorar a qualidade do sono, aumentando a sensação de bem-estar e a produtividade. Além disso, é comprovada a importância do exercício físico para o cérebro, sendo que este é um dos maiores aliados no combate à depressão e ansiedade. As atividades controlam os níveis de hormônios, regulam o humor e diminuem o estresse, sendo até mesmo relevantes para melhorar as funções cognitivas e a memória. Assim, são muito notáveis em prevenir o aparecimento de doenças degenerativas, como o Alzheimer.

Alívio de dores e aumento da autonomia

Os exercícios trabalham muito mais do que apenas a força e resistência do corpo. Estas atividades são importantes para desenvolver o equilíbrio, aumentar a flexibilidade e expandir as capacidades funcionais e motoras. Elas trabalham a coordenação e a autonomia para realizar diversas atividades, especialmente quando se trata de pessoas com idade avançada.

Especialmente em idosos, os benefícios de uma vida de exercícios físicos se traduzem em mais independência na rotina e na redução do risco de quedas. No entanto, eles também são grandes aliados no alívio das dores por vários motivos. Ao liberar endorfina, as atividades físicas diminuem a tensão muscular, enquanto mantêm os ossos e as articulações em boas condições para combater os efeitos do tempo e do sedentarismo.

A importância do exercício físico regular

São muitos os benefícios que as atividades físicas podem proporcionar ao corpo. Entretanto, é importante frisar a prática de exercício físico regular. A sua saúde só será beneficiada se houver frequência na realização destas atividades. 

Por isso, é importante ter em mente que os exercícios não precisam ser tediosos ou chatos. Encontre um esporte que você gosta, participe de atividades em grupo ou chame um amigo para acompanhá-lo! Criar este hábito pode ser muito mais prazeroso do que você imagina, se tornando um dos principais momentos de lazer da sua rotina.

E então, já conhecia a importância do exercício físico para a sua saúde? Conte para a gente o que faz para cuidar bem do seu corpo nos comentários!

Categories
Planos de Saúde

Plano de saúde custo benefício: como calcular?

Por conta da dificuldade de conseguir atendimento pelo SUS e pelo alto preço das consultas particulares, a busca por contratar planos de saúde é cada vez maior. Com isso, pagar este tipo de mensalidade é uma realidade já muito comum entre os brasileiros. Mas, para garantir que o dinheiro investido nisso está sendo bem aplicado, é essencial entender o melhor plano de saúde custo benefício para o seu caso em particular.

No entanto, existem disponíveis no mercado um grande número de operadoras diferentes, sendo que cada uma oferece vários tipos de planos com suas especificidades, em diversas faixas de preço. Por isso, compreender qual o melhor plano de saúde custo benefício costuma ser um desafio e tanto na hora de decidir em qual irá enquadrar a sua família.

Afinal, como encontrar o plano mais vantajoso para você? A que pontos você deve estar atento nesta busca? Como calcular o custo benefício dos diferentes planos?

Veja, a seguir, como entender os diferentes tipos de plano de saúde custo benefício e outros critérios para analisar as suas opções e escolher a melhor oferta para você e sua família.

Pesquise as suas opções

Para encontrar o melhor plano de saúde custo benefício para sua família, o primeiro passo é pesquisar as suas opções em diferentes operadoras. Cada empresa costuma oferecer vários planos diferentes, e apresenta diferentes faixas de preços para os interessados, de acordo com os benefícios proporcionados.

Normalmente, os planos mais comuns são os de referência, ambulatoriais, hospitalares e hospitalares com obstetrícia.

Os planos ambulatoriais são os mais básicos, oferecendo cobertura para consultas, procedimentos ambulatoriais, cirurgias e internações, assim como alguns outros tratamentos, que variam de acordo com cada operadora.

Os hospitalares oferecem internação hospitalar além da cobertura básica, sem limite de prazos e cobrindo o trabalho dos médicos e enfermeiros durante a internação – sendo que a diferença do plano que cobre obstetrícia é que inclui, também, serviços de pré-natal, parto e relacionados.

Por fim, os planos de referência são os mais completos, cobrindo consultas, exames, cirurgias e tratamentos. Por isso, são sempre os mais caros.

Mas tome cuidado em sua busca. Desconfie de ofertas muito tentadoras e procure saber mais sobre todas as operadoras que levar em consideração na sua escolha. Visite seus sites oficiais, veja se conhece alguém que já usou seus serviços e confira a opinião de pessoas que contrataram estas empresas em sites como o Reclame Aqui e a ANS.

Afinal, de nada adianta conseguir um bom preço pelo plano se a cobertura é muito limitada ou costuma dar problema nos atendimentos com frequência.

Defina as suas reais necessidades

Cada pessoa vai ter o seu plano de saúde custo benefício ideal de acordo com as necessidades da sua família. Por isso, é importante pensar nos critérios que você considera importantes para o seu plano, e focar nos atributos que realmente têm mais chances de ser utilizados pelos segurados.

Por exemplo, alguém da família precisa de algum tipo de tratamento especial, ou tem uma condição médica que exige acompanhamento? Há um histórico de alguma doença específica que tem chances de se manifestar? Com qual frequência você e sua família vão ao médico? Você vai sempre no mesmo hospital, ou precisa de cobertura para outros estados e países? Quantos dependentes você pretende colocar no seu plano? Todas estas são perguntas a se fazer para escolher o melhor plano de saúde para sua família.

Plano de saúde custo benefício

Agora que você já sabe o que as operadoras têm a oferecer e entende melhor as suas reais necessidades, é hora de comparar cada plano de saúde custo benefício. Analise com cuidado os que melhor se encaixam nos requisitos que você tem, e vá deixando de lado os que oferecem muitas coisas além, ou que deixem a desejar. 

Para alguém que faz apenas exames de rotina, escolher um plano básico pode ser a melhor opção, pois é muito mais acessível. Conforme suas necessidades forem mais específicas, é necessário avaliar os planos que oferecem melhores benefícios por um custo competitivo.

Algumas operadoras, inclusive, permitem que o contratante opte por ter participação no pagamento das consultas, que são taxas cobradas apenas quando é preciso ir ao médico. Desta forma, você consegue reduzir ainda mais o valor da sua mensalidade e alcançar um custo benefício mais vantajoso para o seu plano de saúde.

E então, se sente mais pronto para escolher o plano de saúde com melhor custo benefício para a sua família? 

Categories
Dicas da Compara

7 cuidados com a saúde que toda mulher precisa tomar

Ter bons cuidados com a saúde é muito importante para prevenir doenças, permitir o diagnóstico precoce de patologias e melhorar a qualidade de vida de forma geral. Ao longo da vida, as mulheres precisam de cuidados especiais.

No meio da correria da rotina, muitas vezes, o trabalho e as tarefas ficam em primeiro plano, de forma que a saúde acabe sendo deixada de lado – o que pode levar ao aparecimento de problemas que poderiam ter sido prevenidos com um pouco de atenção e prudência.

Por isso, hoje o papo é sobre saúde da mulher. Vamos destacar os vários cuidados que elas precisam ter para garantir uma vida feliz e saudável, focando nas suas principais necessidades físicas e mentais.

Confira, então, os principais cuidados com a saúde feminina e entenda a importância de cada um para prevenir doenças e ter mais qualidade de vida na rotina!

Principais cuidados com a saúde para as mulheres

1. Manter uma alimentação saudável

Ter uma alimentação saudável é um dos principais cuidados com a saúde do corpo. Além de contribuir para o bom funcionamento do organismo e diminuir o risco de doenças, uma boa alimentação também traz benefícios para a mente e bem-estar. E o melhor é que tornar a sua ingestão de alimentos mais saudável não precisa ser um processo difícil ou demorado.

Com pequenos cuidados, já é possível ter uma rotina alimentar mais sadia. As principais dicas são controlar o consumo de sal e não exagerar nos doces, além de buscar comer mais produtos naturais como hortaliças, legumes, verduras e frutas. Dê preferência para os orgânicos e livres de agrotóxicos, e não faça dietas radicais sem o acompanhamento de um profissional.

2. Beber bastante água

Manter o corpo hidratado também é um ponto essencial para a sua saúde, sendo que o recomendado é ingerir 2 litros de água por dia. Pode parecer difícil à primeira vista, mas uma das melhores dicas para isso é manter uma garrafinha de água por perto em todas as tarefas do seu dia. Isso torna o hábito de beber mais água muito mais fácil.

3. Fazer exercícios físicos regularmente

Os exercícios físicos regulares são importantíssimos para manter o corpo forte e saudável. Além de ajudar a prevenir diversas doenças e auxiliar na saúde psicológica e mental, as atividades físicas melhoram o condicionamento físico e aumentam a qualidade de vida, não importa a idade. Encontre uma atividade agradável, que você pode fazer sozinha ou com amigos, e torne ela um hábito na sua rotina para sentir todos estes benefícios na sua saúde.

4. Ter mais cuidados com a saúde mental

As doenças psicológicas, mentais e emocionais são tão graves quanto problemas físicos, e muitos fatores podem levar ao desenvolvimento de patologias, tanto por condições de vida quanto por agentes externos. Por isso, não deixe de lado os cuidados com a saúde mental. É importante conversar com pessoas próximas, ter atenção a possíveis sinais de doenças degenerativas ou psicológicas, e não hesitar em procurar ajuda especializada sempre que necessário.

5. Realizar exames de prevenção

Fazer check-ups regulares é uma recomendação médica endereçada a todos. Quando falamos especificamente de cuidados com a saúde feminina, existem alguns exames que devem ser adicionados à lista de prioridades, especialmente o Papanicolau e a mamografia.

O exame Papanicolau, que rastreia o câncer de colo de útero, deve ser feito anualmente por todas as mulheres a partir dos 25 anos. Já a mamografia, que identifica o câncer de mama, é recomendada para mulheres acima de 50 anos a cada dois anos.

6. Escolher um método contraceptivo com consciência

Embora normalmente sejam uma necessidade importante na vida moderna, todos os métodos anticoncepcionais têm contraindicações e efeitos colaterais para a sua saúde. Além disso, eles costumam ser utilizados por muitos anos.

Pensando assim, vale a pena ter mais atenção ao que você coloca dentro do seu corpo, não é mesmo? Busque se informar sobre as suas opções e converse com um profissional para definir qual a melhor alternativa para você e sua saúde.

7. Dar mais atenção à sua sexualidade

Os problemas com a sexualidade feminina ainda são muito frequentes. A sexualidade envolve diversos aspectos da vida de uma mulher, englobando desde o prazer, desejo, amor e, em alguns casos, o relacionamento com um parceiro ou parceira.

Para uma vida saudável, é necessário conhecer o seu próprio corpo, buscar informações a respeito de uma vida sexual sadia e trabalhar o amor-próprio. Estando em um relacionamento afetivo ou não, a sexualidade é sempre um dos cuidados com a saúde ao qual se deve ter atenção, pois interfere profundamente na saúde física e mental da mulher.

O que você achou da nossa lista de cuidados com a saúde para mulheres? Anda atenta a todos estes aspectos da sua vida? 

Categories
Dicas da Compara

5 exercícios físicos para idosos que não prejudicam articulações

É normal que os anos mostrem seus sinais no corpo na terceira idade, com o aparecimento de problemas como artrite, condições cardíacas e a propensão a quedas, entre outros. Para manter o bom funcionamento do organismo e combater os efeitos negativos da idade, os exercícios físicos para idosos são artifícios importantes, e que devem ser adotados para garantir mais saúde e bem-estar durante essa etapa da vida.

Entretanto, existem dúvidas sobre quais são as melhores atividades para a terceira idade. É necessário focar na saúde e na segurança do idoso, levando em consideração potenciais doenças ou outros problemas, de forma que os exercícios ajudem ativamente a melhorar a sua condição.

Por isso, preparamos este artigo focado na saúde da terceira idade. Veja, a seguir, como escolher os melhores exercícios físicos para idosos e sugestões de atividades muito saudáveis e seguras para os mais velhos. Acompanhe!

Os exercícios físicos para idosos

Com o avanço da idade, é comum que o corpo vá, aos poucos, ficando mais fraco, perdendo força na musculatura e nos ossos. Por conta disso, os exercícios físicos para idosos devem focar em atividades de pouco impacto, evitando sobrecargas nas articulações e diminuindo as chances de queda. É importante buscar por exercícios que ajudem a desenvolver a força, o equilíbrio e a flexibilidade, retardando o envelhecimento do organismo e ampliando a qualidade de vida na terceira idade.

No entanto, é importante que cada um respeite seus próprios limites. Cada pessoa terá suas preferências e restrições, e, por isso, é recomendado que seja realizado um check up junto ao médico para conferir o estado de saúde atual. As informações levantadas nos exames podem ajudar a identificar a melhor opção de atividade física para as cada necessidade.

Natação e hidroginástica

Quando falamos de exercícios físicos para idosos, as atividades na água sempre são consideradas muito vantajosas, porque diminuem significativamente o impacto dos movimentos e o risco de lesões. Eles ajudam a alongar e fortalecer tanto os músculos quanto as articulações, aliviando as dores causadas pela artrite e evitando a perda óssea. Além disso, melhoram o ritmo cardíaco e a saúde dos pulmões, desenvolvendo força, flexibilidade, capacidade aeróbica e a resistência do corpo como um todo. Esses são exercícios muito completos.

Bicicleta

A bicicleta é outra opção interessante para quem está atrás de exercícios físicos para idosos. Ela ajuda a fortalecer as articulações e os músculos, principalmente na área das pernas e do abdômen, enquanto também não gera impacto nas pedaladas. Como é um exercício aeróbico, os trabalhos cardíaco e pulmonar também são beneficiados.

Esta atividade pode ser feita tanto em bicicletas tradicionais quando estacionárias, o que facilita a rotina para quem tem dificuldade de sair de casa ou encontrar um local tranquilo para fazer suas atividades físicas.

Alongamento

Os alongamentos são muito indicados para melhorar a flexibilidade, diminuindo a rigidez das articulações e músculos. Isso reduz o risco de lesões de rotina, além de facilitar a realização de tarefas do dia a dia. As atividades de alongamento ajudam a melhorar a circulação sanguínea e o controle da oxigenação do corpo. Além disso, são muito fáceis de fazer, e podem ser realizadas em qualquer lugar.

Para quem quer ir um pouco além e trabalhar mais o corpo, a yoga e o pilates são duas alternativas que trazem benefícios semelhantes, trabalhando, também, a força muscular e o relaxamento.

Caminhada

A caminhada costuma ser um dos exercícios físicos para idosos preferidos dos que gostam de sair de casa. Além de ótima para aumentar o contato social dos idosos, a caminhada é uma atividade que fortalece os músculos, trabalha as articulações e desenvolve o ritmo cardíaco e respiratório.

Quando realizada diariamente, controla a pressão arterial e diminui os níveis de colesterol no sangue. São exercícios simples e que podem ser realizados em qualquer lugar, mas deve existir um certo cuidado quanto aos calçados utilizados e ao trajeto, evitando acessórios e locais que podem aumentar o risco de queda ou lesão.

Musculação

Está enganado quem acha que a idade faz com que a musculação não seja um dos melhores exercícios físicos para idosos. Ela auxilia a aumentar a resistência do corpo, fortalece os músculos e trabalha as articulações, melhorando, também, a postura e tornando os ossos mais fortes.

No entanto, assim como a caminhada, é importante ter alguns cuidados. É recomendada a supervisão de um profissional para que os exercícios sejam feitos corretamente e o peso utilizado seja escolhido de acordo com as capacidades de cada indivíduo, evitando lesões.

São muitas as possibilidades de exercícios físicos para idosos! A idade não é desculpa para deixar de ser saudável e parar de fazer atividades e esportes. Você já conhecia estes exercícios para a terceira idade? 

Categories
Dicas da Compara

Dicas para alimentação saudável em uma rotina atribulada

Todo mundo sabe que uma boa alimentação está diretamente relacionada com a qualidade de vida. No entanto, com a correria do dia a dia, é comum se habituar a comer alimentos cada vez menos benéficos para a saúde, por serem alternativas mais práticas. Mas isso não precisa ser assim! Com algumas dicas para alimentação saudável, criar uma rotina de refeições melhores para o seu corpo pode ser fácil e até mesmo economizar mais tempo.

A saúde é um bem que não tem preço, e é essencial cuidar sempre muito bem do organismo para garantir que ele continue funcionando sem problemas por muitos anos. Uma rotina saudável é a melhor maneira de garantir isso. Na vida corrida atual, um cotidiano saudável só é possível com um pouco de esforço e organização.

Felizmente, alcançar este objetivo é muito mais fácil do que parece. Veja, a seguir, nossas dicas para alimentação saudável e veja como você pode melhorar seus hábitos alimentares e ainda ganhar tempo na semana!

6 dicas para alimentação saudável

Dica 1: Planeje sua semana

Uma das melhores dicas para alimentação saudável é planejar suas refeições da semana. Estabeleça horários fixos para comer, conforme a sua disponibilidade, e busque se alimentar mais vezes ao dia. O ideal é comer menos por refeição, e fazer pequenos lanches a cada 3 horas para manter seu organismo disposto.

Faça um cronograma de antemão para escolher pratos e lanches saudáveis, e vá ao mercado com uma lista preparada do que você vai precisar. Isso ajuda a evitar comprar coisas que você não deve e nem precisa, contribuindo até mesmo para economizar no orçamento. Com esta organização, você também diminui o número de vezes que precisa ir às compras.

Dica 2: Prepare seus próprios alimentos

Preparar as suas próprias refeições é uma das melhores maneiras de focar em uma alimentação saudável. Assim, você garante que vai cozinhar com ingredientes naturais, evitar elementos não saudáveis e pode escolher o que mais se adequa ao seu gosto. Dê prioridade a alimentos orgânicos, e tente incluir frutas, legumes e hortaliças à sua rotina alimentar. Da mesma forma, reduza a utilização de óleos vegetais, assim como o consumo de sódio e açúcar. Você verá que existem muitas alternativas de pratos saborosos que não precisam destes produtos.

Para economizar tempo, outra ideia é escolher alguns dias na semana para cozinhar, preparando comida o suficiente para um período. Você pode conservá-la em potinhos na geladeira, ou até mesmo congelar as porções no freezer. Faça o mesmo com os lanches: na hora de sair de casa, é só levar junto as comidas já prontas.

Dica 3: Tenha uma horta caseira

Ter uma horta caseira é mais simples do que parece, e pode ajudar a economizar tempo e dinheiro ao fazer suas refeições saudáveis. Ao contrário do que se pensa, não precisa de muito espaço – basta escolher alguns vasos e ser criativo. Você pode até mesmo montar uma horta vertical, contra a parede da sacada! Com ela, você terá acesso a temperos, legumes e hortaliças sempre que quiser, sabendo que são de fonte orgânica, sem contato com agrotóxicos ou agentes químicos. Tudo de bom para a saúde!

Dica 4: Procure restaurantes saudáveis

Para quem não gosta de cozinhar ou não consegue preparar comida para todos os dias da semana, outra das dicas para alimentação saudável é buscar por restaurantes com esta temática. A maior parte das cidades já conta com serviços especializados em preparar lanches e marmitas com foco na saúde, o que pode ser uma alternativa bem prática para quem prefere receber sua comida pronta de vez em quando.

Dica 5: Não se esqueça de beber água

Essa é uma das dicas para alimentação saudável mais importantes da lista. A água é essencial em diversos processos do corpo, mas é muito comum beber menos do que o recomendado diariamente. Crie o hábito de carregar um copo ou garrafa térmica com você para onde for, seja no escritório, em visitas de negócios, em um passeio ou reunião. Com a água em mãos, você verá como será mais fácil se hidratar com frequência.

Dica 6: Fale com um profissional

Um dos maiores desafios para quem quer melhorar a alimentação é saber o que preparar e como atender às suas necessidades nutricionais. Um profissional da área da nutrição não apenas é capaz de explicar a você como deve ser sua rotina alimentar, mas também pode montar um planejamento com sugestões de alimentos para cada etapa do dia. Assim, uma consulta destas pode ser de grande ajuda, principalmente para quem quer cuidar mais do seu corpo e não sabe como começar.

E você, já conhecia estas dicas para alimentação saudável sem perder tempo na rotina? Conte para a gente nos comentários o que você faz para manter a sua saúde na correria do dia a dia!